Angola” O Mergulho do Guerreiro”

Angola, um acesso a incríveis aprendizados, muitos contextos socioculturais e uma verdadeira cartilha de vidas cruzadas vividas com muita intensidade e amor, surgiam mais variáveis mas a clareza sobre os três polos principais que nos regem na aventura da vida  e a sua ligação ficavam mais claros e mais límpida a grande interacção entre eles, as dúvidas que durante gerações foram separadas ou motivo de estórias, que alienaram o EU SOU para um SER estanque em vez de um EU SOU em movimento, onde a impermanência é uma constante benéfica na aprendizagem e na cura, ditaram gerações estagnadas sem poderem viver o seu potencial legado, ser saudáveis e felizes.

Os estados emocionais elevados ao seu exponencial máximo, ganharam ainda mais interesse para o campus do ME  Ditar, após uma passagem, como Psicóloga Clínica, por uma prisão de grande segurança e com cerca de 500 homens com crimes considerados de imensa gravidade, dos quais destaco as violações e os homicídios com penas máximas de 25 anos. Seria modesta se não referisse o valioso aprendizado com todos os homens de várias idades, que devido às “dores” que existiam na sua “criança interna” tinham chegado ali. O denominador comum a todos, o “ventre materno “que será explicado no momento certo. Nenhum estaria ali se tivessem tido oportunidade de terem sido vistos e olhados.

Foi no contexto prisional que se aperfeiçoa o “Mergulho do Guerreiro”, como forma de minimizar o impacto de se sentirem ainda mais “Seres à Margem” ou “Filhos de um Deus Menor”, numa ciranda de vícios alimentados por outros sobreviventes emocionalmente amparados numa falácia irreal e pouco digna da questão “consciência”. Anamneses observadas desde o lugar do coração em que a empatia comandava as sessões foi fácil perceber que não é perpetuando a dor, o medo, a humilhação e o servilismo que a cura poderá existir.

Expulsa da prisão por premiar um recluso com uns ténis pois usava umas pantufas esburacadas á vários meses, devido à sua evolução de não “comer “mais parafusos da louça sanitária, para ter a paz que as cirurgias e os internamentos lhe proporcionaram, seguem-se as consultas novamente com os referidos “casos” de vida implicitamente plenos de um descarrilamento do Ser Integral. A Alma que chora e grita por todo o corpo que dói, as crises de ansiedade que oscilam em momentos de depressão e pânico, noites por dormir, relações tóxicas constantes, doenças já em fase de diagnósticos perturbadores, isolamento e falta de confiança, solidão, medo e suicídios, o quadro fica cada vez menos promissor para sair do modo de sobrevivência para o modo de VIVER e descobrir a pessoa mais importante da sua vida… VOCÊ!!!

Eureka, ME  DITAR, sair das crenças limitantes do que uma “caixinha social” que DITA até ao fim de cada vida e permitir ME (eu) a mim, meu eu, o que ME move, o que ME vibra, o que ME faz SER uma melhor versão de MIM, para onde ME quero direcionar para ME sentir Viva(O)…. Então eu vou ME  Ditar( as minhas verdadeiras convicções, conhecer a minha essência, olhar para o meu interior, ditar as minhas regras de funcionar, ditar o meu sentir, ditar os meus limites) simmmmmmm!!! ME  DITAR é um nascimento do meu EU agora conhecido por mim, visto por mim e acima de tudo onde eu me encaixo na perfeição percebendo a “Raiz” que me cristalizou num lugar onde tudo me doía e eu só me libertaria ao ME   OLHAR para me reorganizar.

Agora finalmente ME    DITAR faz todo o sentido, e ainda tem um longo caminho para escrever toda a sua história… que começa em ME!!!

Angola – ” O Mergulho do Guerreiro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Voltar ao topo